domingo, 7 de dezembro de 2008

Rumo a Florença

Já estava programado. Desde Veneza alugaríamos um carro para ir até Roma. A idéia era percorrer as estradas do interior da região da Toscana.
Antes iríamos conhecer algumas partes e então ficar hospedadas em Florença.
Saímos em direção ao Lago di Garda. Esta é uma região de lagos. Fica para o lado de Milão.
Para tanto tivemos que fazer uma ponta de triângulo. Primeiro paramos em Padova.Para nós brasileiros, Pádua. Cidade onde existe a Igreja de Santo Antônio de Pádua. Pequena e linda, a cidade, pois a Igreja, grande e maravilhosa! Baixamos do carro em pares, pois tínhamos sido avisadas que um carro carregado sempre é alvo de assaltos.
Minha mãe e irmã foram primeiro. Eu e a Carmen, nossa irmã escolhida, fomos depois.
Ao entrar, um impacto com a beleza. Após, o segundo impacto.
Caminhando por sua nave, ali em uma de suas capelas laterais, li: benditiziones. Comentei que estavam benzendo, e a Carmem, estudante de colégio de freiras, parou para receber a sua. Eu, que apenas fui batizada, fiquei ao largo para ver que tipo de mico teria que pagar, ou se teria que pagar para receber a benção, assinhó, já tapada de pagar para entrar em Igrejas! Fui pega de surpresa pelo padre que chamou para uma benção coletiva. Fomos em três. E foi a segunda vez em minha vida que fui benzida. Assim, todas nós, na estrada, estávamos benzidas! Não paguei nada pela benção. Coisas que acontecem quando se viaja, pois ao ser perguntada pela minha irmã se eu conhecia a Catedral de Porto Alegre fui obrigada a dizer que não. Coisas de Simone!
Também fiz tudo o que mandaram: passei a mão no tumulo de Santo Antônio, fiz pedidos de saúde para meu marido e filhas peludas e que nos acompanhasse em segurança na loucura do trânsito italiano. Também, como já de costume, ao entrar na Igreja já fiz os pedidos por conhecer uma igreja nova. Fico pensando na ocupação dos Santos para tentar resolver tantos pedidos advindos da Europa, mas feitos para tantos países diferentes! Isso é que é trabalhão!
Bem, após sair de Padova, a chuva nos pegou no meio do caminho. Logo, em Sirmeone, a chuva ficou mais intensa e então não pudemos descer e tirar fotos do Lago di Garda. Posso apenas dizer que este balneário é lindo! Poderia dizer que se compara a Punta Del Este! Ali paramos para tomar um café, onde descobri que o "lungo" italiano é a meia taça de cafézinho brasileiro e o "corto" é 1/4 da mesma xícara, mas suuuuuuuuuuper forte! Uma delícia! Ambos, uma delícia!
Fico me perguntando onde nosso melhor café vai parar, sim, porque aqui não tomamos nosso melhor café! Com certeza!
Ainda haviam muitos kilometros para chegar em Florença e eu estava dirigindo, digo, motorista oficial do aluguel do carro e não poderia existir trocas, se é que me entendem! Não pelas outras meninas, mas porque se ocorresse alguma coisa e eu não estivesse dirigindo a multa seria uma catástrofe!
Foi então, ao entrar nas auto-pistas italianas, que descobri o que é trânsito de verdade! Até então vinha por vias secundária, onde não se paga pedágio, não há acostamento e têm curvas para todos os lados!
Gente é uma loucura!!!! Velocidade mínima: 110km. Velocidade máxima: 130Km. BMW na Itália é como Silva no Brasil! Eles passam a muito mais que 130 Km/h! Olhar pelo espelho retrovisor e então tentar ultrapassar o carro da frente pode ser perigoso! Eles chegam antes de você pensar a manobra! Ou você já está passando ou fica ali mesmo! Além do mais, praguejam como loucos! Não precisa escutar, basta entender os gestos!
Os caminhões andam pela mão da direita, onde sempre existe a saída para as cidades, certo? Turistas sempre são lentos, pois precisam ver e ler a sinalização, logo precisam andar pela direita, certo? Não tentem. Eles buzinam na sua traseira, en-lou-que-ci-da-men-te, para sair daquela pista que não te pertence, e então bate uma “paura”, um medo, um nervoso, que posso dizer que dá chulé, “chulé” nas mãos! E então você segue, pois não é ali que você tem que entrar...
Com a chuva chegamos à noite em Florença, ou seja, dirigi com chulé nas mãos até Florença, já que lá anoitece às 17h da tarde! Mais ou menos uns 300Km. Bota chulé nisso!
Florença é uma cidade grande, mas não das maiores. Mesmo assim chegar nela de carro é complicado. As sinalizações das estradas, que são maravilhosas, desaparecem e você fica órfã! De pai e mãe.
Paramos e, para desestressar, comecei a fumar um cigarro, coisa que aliás, mais do que normal em toda a Europa! Aliás, quem não fuma por lá é exceção.
Tentamos perguntar para várias pessoas que ali passavam. Ninguém parou.
Então descobrimos que o italiano é mais curto que uma pata de porco: Diz sim; diz não ou passa reto sem dizer nada e nem olhar para você. Ah! Há outra variação: está falando no celular e segue sem notar se você é uma escultura que está sempre disponível ali mesmo, ou uma pessoa, digo melhor, turista. Pois lá isso não é sinônimo!
Mesmo assim conseguimos chegar próximo ao centro onde estava nosso hotel. Quem nos salvou? O porteiro do Hotel Sheraton de Florença! Paramos ali para perguntar sobre outro hotel, claro que não fazia concorrência com ele, e fomos super bem orientadas!
Obrigada Sheraton, pelo seu treinamento!
Assim, às 20h, já noite fechada, chegamos a Florença, no estacionamento do hotel, para que no dia seguinte pudéssemos começar a conhecer esta maravilhosa cidade.
Bonna Sera!

PS: Ali mesmo descobrimos o preço do estacionamento: 24 euros por dia. Ficamos por lá 3 dias...calculem, por favor, não sou boa em matemática... e nem quero lembrar o valor que pagamos...Melhor assim...

3 comentários:

Andréa disse...

Olá
Simone
Não acredito que agora voce tem blog, te achei!DAN.....
lembra da Andréa que comprou teu avental de gato , trocamos muitos e-mail mas depois perdemos o contato, ai que bom que encontrei de novo.
Menina que viagem linda, agora acompanharei teu blog.
Me mande noticias
Beijos, Andréa Sao Benardo do Campo- sp

Nina Shô disse...

Andréa!!!! Há quanto tempo!!! Que bom voltar a encontrar você! Qual é seu blog? Mande seu endereço que colocarei na minha listagem e seguirei acompanhando. Vamos nos falar menina! A Andrea do blog Mil pontinhos é de SP e faz patch, a Beth, do Gatos e Panos tb. Quem sabe vocês já se conhecem e até já fazem parte da mesma confraria. Noooooooooossa! O mundo é bem pequeno mesmo...
Beijos

Andréa disse...

Oi Simone
Querida, ainda não tenho blog, mas vi o teu no da Andréa MIl pontinhos,por enquanto ´so e-mail, voce não tem acesso ao meu e-meil quando vai ler o meu comentario?
Se não tiver é andreaturca@gmail.com, o mundoi é pequeno e fui te encontrar viajando pela Itália?
Espero respostas, beijos, Andréa

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...